segunda-feira, 29 de agosto de 2016

DILMA E PT - CASO PERDIDO DE DOIDOS VARRIDOS

CASO DILMA É CASO PERDIDO DE LOUCO SENDO OUVIDO.
A lógica do louco é que o que ele pensa é o real.
Pra ela 25 milhões de mortos abandonados pelo seu sistema de Saúde desfalcado... e pelos bandidos, drogas, acidentes de ruas e rodovias sem cuidados... suicídios, estupros, mentiras pra enganar eleitores, falsificação das urnas, desvios de dinheiros públicos pra contas de aliados, com o fim único de manter o poder sem saber o que vai fazer... Tudo isso para o débil mental é zero! E só vale pra ele sua argumentação narcisista de que ela é a pessoa ilibada e certa e os outros é que são loucos.
Pra ela 15 milhões de técnicos e executivos capazes que nossas universidades formaram com muito suor e luta, e se foram pra todos os países do mundo nesses trinta anos... Tudo isso pros débeis mentais alucinados pela neurose do poder... são meros divergentes políticos que não querem dividir suas rendas com os pobres... E seria sua obrigação ficar aqui e trabalhar sem serem reconhecidos...
Ainda argumentam esses doidos varridos que Dilma teve 54 milhões de votos... E isso lhe deu o direito de espatifar tudo – dinheiro de FGTS, dinheiro todo dos impostos, dinheiros dos aposentados, patrimônio da Petrobrás, créditos do BNDES... E os prejudicados não podem fazer nada e devem engolir o prejuízo como se tivessem sido avisados que os votos dados enganados, mais os fraudados, mais os comprados com bolsas e promessas e sanduiches de mortadela... Tudo isso foi aceito por eles mesmo que nunca tivessem nem imaginado que seria feito assim.
Afinal a palhaçada no Senado serviu para o mundo inteiro ver como é um doido e seus similares argumentando e tentando fazer as vítimas declararem que são eles os criminosos.
Esperamos que o Projeto de novo Brasil comece com a revogação do estelionato tributário. Há programa fácil pra fazer o certo. Há gente que não é doido varrido...
Venho esclarecendo em muitos artigos:
Este é o programa em execução pelos desgovernos
Ver também

segunda-feira, 22 de agosto de 2016

COLÉGIOS MILITARES & INTERVENÇÃO – O QUE FAZER?

COLÉGIOS MILITARES

INTERVENÇÃO – O QUE FAZER?

QUEM FOR CAPAZ DE CONTESTAR-ME QUE ME ENVIE SEU PROJETO
SABEM POR QUE MOTIVO AINDA NÃO HOUVE INTERVENÇÃO MILITAR?
Porque nem eles sabem o que é preciso fazer nem quem pode ser encarregado de fazê-lo, para desembainhar a espada e apoiar esse trabalho.

Agradeço o envio deste comentário e do artigo do professor de Londrina
PAULO ANDRÉ CHENSO - MÉDICO E PROFESSOR EM LONDRINA PR
Meu companheiro de lutas e ideias Paulo Roberto de Almeida pescou o artigo escrito pelo médico e professor Paulo André Chenso, de Londrina (PR), que resume a desgraça em que se tornou o ensino no país graças à invasão ideológica esquerdista, calcada no nefasto cascateiro Paulo Freire. Citando o preciso comentário de Paulo, publico em seguida o texto publicado na Folha de Londrina. Ah, sim, Chenso é também ilustrador e especialista em história da arte:
"As escolas brasileiras não são o que são por acaso: é preciso muita constância no erro para transformá-las em antros de mediocridade. Esse é o resultado da aplicação da "pedagogia do oprimido" do "patrono da educação brasileira", o grande idiota Paulo Freire. Enquanto isso, os colégios militares se destacam. Os medíocres não gostam disso, como demonstra este artigo".
Paulo Roberto Almeida

ESCOLAS MILITARES, O GEMIDO DOS MEDÍOCRES
Ora, é preciso ver o programa pedagógico desses colégios antes de sair por aí falando asneiras.
O Colégio Militar foi criado por D. Pedro IIº em 1889, e mantido pela República. Durante 126 anos nunca se viu qualquer comentário sobre essas escolas. De repente, descobriram o filão – e como o descobriram? Simples, as escolas militares encabeçam a lista dos melhores desempenhos nas provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) e do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb), e isso, parece, incomodou alguns setores da nossa "educação civil". É como se o sucesso dos colégios militares causasse inveja aos colégios civis. São 12 colégios do Exército e 93 da Polícia Militar, com um total de mais de 30 mil alunos atendidos. Bastou aparecer na mídia o brilhante desempenho e já emergiram de suas tocas os pseudopedagogos de beira de estrada para criticar o sistema de ensino dos colégios militares.
Na reportagem da Folha de São Paulo (12/8) afirma-se: o Colégio Militar "padroniza comportamentos", "inibe o questionamento" e "impede criar perspectiva de construção de identidade". Se durante mais de 100 anos foi assim, os colégios militares formaram uma multidão de alienados – que, no entanto, estão dando um show de desempenho. É, realmente, paradoxal.
Sou professor há 42 anos e acompanhei gerações de alunos do nível médio, e assisti, com imensa tristeza, a deterioração do comportamento, o desinteresse, o aumento da violência, a impossibilidade de se aplicar disciplina mais rigorosa, e necessária, pois, hoje, o aluno já sabe, previamente, que não importa o que aconteça, ele será aprovado. Vi professores sendo agredidos, desrespeitados, às vezes humilhados, e por que não, abandonados pelos próprios órgãos que lhes deveriam dar apoio, como é o caso dos núcleos de ensino, com pareceres quase sempre favoráveis ao aluno. Ora, vendo tudo isso ao longo dos anos, a contínua corrupção (e corrosão) do ensino, com facilitações que chegam às raias do absurdo para justificar, alhures, que aqui não há repetências, e encerramos cada ano com alunos cada vez menos preparados. Como concordar? Alunos do nível médio que escrevem Brasil com z! Que nunca leem nada além de ridículos livrecos empurrados pelas grandes editoras - há um enorme contingente de alunos que chegam ao terceiro colegial sem ter lido um único autor clássico brasileiro. É uma vergonha!
E agora vem a mídia e seus "especialistas" em educação tecer críticas ao único sistema, hoje, que atua na educação do jovem de forma global e completa. Ora, é preciso ver o programa pedagógico desses colégios antes de sair por aí falando asneiras como se fossem os arautos da melhor educação. Se fossem, o ensino não estaria essa tragédia. Sem contar o desinteresse absoluto do Estado, o mísero investimento feito pelo poder público. O verdadeiro abandono das nossas escolas. Dispensa comentários.
Não vi entrevistas com os alunos, nem com os pais. Vi declarações, sim, de pessoas que parecem ignorar a real situação de nossas escolas. Ninguém mencionou na imprensa se os milhares de alunos desses colégios militares gostam ou não. É explícito nos regulamentos: caso o aluno não se adapte à disciplina militar, é imediatamente transferido para colégios civis. Ninguém é obrigado a estudar lá. E mais, para estudar nesses colégios, participa-se de um concurso na qual a média de candidatos chega a 22 mil! Será que é mesmo tão ruim, ou são nossos "pedagogos" que estão impregnados com as ideias "supermodernas" introduzidas na educação brasileira nos últimos anos?
Paulo André Chenso - médico e professor em Londrina PR
CONCLUINDO
Pelo menos uma coisa a Intervenção saberia fazer: Mandaria estudar. Mandaria seguir um programa de responsabilidade e entendimento das coisas. E esse pode ser o Projeto. Não será assim necessário trazer figurões para ditar leis.
E esse é o único caminho de uma verdadeira Intervenção.
Como será?
Um dia os governos que caem e são substituídos por outros que não conseguem governar, e um deles vai pedir o apoio das FFAA.
E as Patentes em exercício dos comandos baterão continência.
E farão o que sabem fazer. Cada um buscará a melhor solução. Chamará seus comandados. E estes farão tudo para ajudar o comando porque assim virá a vitória (ao contrário dos políticos que torcem para o seu chefe falir, pra pegar o lugar, os militares sabem que se o superior falir, ele terá que ocupar o lugar sem que o morto possa ajudar... e é melhor serem dois do que assumir sozinho!)
Nesse dia ouvirão A ARTE DA GUERRA que avisa que o bom guerreiro conhece o caminho, estuda a lei da plenitude e da vacuidade, rememora as estratégias, observa os terrenos em que tem que lutar, conhecerá as cinco condições (clima, terreno, liderança, coragem, disciplina). E terá em mente que há inimigos que não deve combater, fortalezas que não pode atacar, território que não pode ocupar e ordens dos governantes que não pode obedecer.
Neste Blog damos algumas informações:
Este é o programa em execução pelos desgovernos
Ver também


domingo, 14 de agosto de 2016

CÂNCER E IMUNOLOGIA

‘A IMUNOLOGIA É O MAIS IMPORTANTE CAMPO DA CIÊNCIA’
  POR: JOELLI AZEVEDO - MAIO 19, 2016

COMENTÁRIO PREVIO
Não entendo como é que não perceberam isso há mais tempo.
Em 1974 quando passei pela cirurgia do estômago eu exigi a prova de que as células eram cancerosas e não encontraram nada!
Apesar de tanta celeuma, eu parti para o aumento das defesas.
E pouco tempo depois eu tirava a conclusão de que a maioria dos chamados “tumores” de células em multiplicação irracional não passavam de infecções ainda não conhecidas.
Este artigo é o segundo que vejo que começa a admitir que câncer é problema de sistema imunológico.
Neste momento estou assistindo a um programa da TV Cultura sobre Imunologia e câncer. Há mais de 35 anos que concluímos e eu assumi no Grupo de Estudos Avançados que não existe uma doença que mereça a qualificação de células humanas mais poderosas que o nosso corpo, que o corpo não identifica como estranhas e por isso não se defende.
Passamos a ver o que o pulso indicava – ataque biológico com baixa imunidade.
Estou estarrecido com a descrição de um processo de criação de soros e vacinas dentro do paciente e dizem que é coisa nova... para combater o que foi diagnosticado como câncer...
Já estou em segunda edição de “O Falso Câncer”, mas sabem o que acontece?
Acontece que é proibido na ciência Feudal que um estudioso da Colônia possa explicar há tanto tempo algo melhor que os bestas autorizados pela Metrópole a dizer o que é câncer ainda não chegaram, mas começam a arranhar.
Há poucas horas atendi para explicar usos do mel a um rapaz que não deveria ter nascido porque logo após o casamento de sua mãe, ela foi diagnosticada com câncer galopante de ovários e teriam que ser extirpados... A família me conhecia e pediu minha opinião. Indiquei os métodos naturistas de aumentar as defesas... E não voltar ao médico. A então recém-casada já está com mais de 50 anos e o rapaz já está com quase 30 anos...
Tenho pena dessa barbárie que chamam de ciência oficial... politicamente correta...

Elias Toubi, médico Chefe da Divisão de Imunologia em Hospital de Haifa, em Israel, ele veio ao Rio para congresso promovido pela Sociedade de Reumatologia do Rio de Janeiro:

“Sou um árabe-israelense, nascido em Haifa, de uma família que vive ali há oito gerações. Meu pai acreditava que não há outra opção em Israel que não seja árabes e judeus viverem juntos e pacificamente. E é no que eu acredito. É difícil, mas me mantenho otimista: judeus e árabes vão criar muito mais, e muito melhor, juntos.”

• Conte algo que não sei.
Nem os cientistas percebem como a imunologia é o mais importante campo da ciência hoje, que está tratando de várias doenças, em muitos aspectos do nosso organismo. Quanto mais governos e ministérios da Saúde entenderem como a imunologia é importante mais vão perceber como deveriam subsidiar melhor os estudos nesta área.

• O sistema imunológico é a chave para estudar outras doenças?
Hoje, o estudo imunológico é o carro-chefe da pesquisa de todas as outras doenças. Doenças cardíacas, diabetes ou arteriosclerose, todas estão de alguma maneira conectadas com o conhecimento avançado do sistema imunológico, um dos mais fascinantes sistemas do nosso corpo. Há uma década, pensávamos que as doenças autoimunes eram artrite reumatoide, lúpus, síndrome antifosfolípide, esclerodermia. Hoje, a imunologia nos dá respostas para muitas outras doenças que, até agora, não sabíamos que tinham a ver com a imunologia, como a arteriosclerose e as doenças metabólicas.

• É comum falar que reumatismo é “doença de velho”…
Reumatismo é um termo leigo para mais de cem tipos de doenças. As mais comuns são artrose, ou osteoartrites, principalmente em idosos: mas também em jovens jogadores de futebol e bailarinas. É originada por uma inflamação e pelo mau uso da articulação. Mas, dentre as outras cem doenças, há inflamações autoimunes que podem afetar jovens e até crianças. E essas doenças inflamatórias autoimunes, como lúpus e síndrome antifos-folípide, atingem até mais a população jovem do que os mais velhos. As doenças reumáticas afetam uma larga faixa etária.

• Como se prevenir?
“Prevenção” é a palavra mágica para uma grande variedade de doenças. Com boa dieta e exercícios, podemos prevenir doenças cardíacas, diabetes, arteriosclerose. Mas exercícios e alongamentos não vão prevenir reumatismos. Não acredito que possamos prevenir as doenças reumáticas, lúpus, nem nenhuma das doenças autoimunes. O sistema imunológico é herdado dos genes. Então, todas essas doenças têm como característica a predisposição genética – ainda não as compreendemos profundamente, e é o principal estudo ao qual devemos nos dedicar.

• Qual a maior dificuldade no estudo dessas doenças?
A principal dificuldade é o lapso entre observar os sintomas e relatar uma doença reumatológica. A mais comum não é o lúpus, uma doença relativamente rara, mas a atrite reumatoide, que se manifesta até cinco vezes mais. Hoje, o conhecimento sobre doenças autoimunes é muito avançado.

• As terapias evoluíram?

Há até dez anos, tudo o que podíamos receitar eram esteroides e imunossupressores. Hoje, é fascinante, pois há dezenas de terapias biológicas que estão melhorando a vida das pessoas. As mais avançadas estão relacionadas ao câncer. Até recentemente, lutávamos sem trégua na tentativa de descobrir como controlar a doença. E, nesta última década, compreendemos que o futuro será usar o sistema imunológico para matar as células malignas. Quanto mais estudamos o sistema imunológico, mais próximos estamos de tratamentos de muitas doenças. Seja qual for o gatilho – viroses, ambiente ou outra coisa -, e nosso sistema imunológico é afetado. Por conta disso, muda de comportamento. Entender esse funcionamento é a coisa mais fascinante hoje.

CONCLUSÕES - Será que um dia vão desconfiar que não existe Câncer?
Vejam O RESUMO
http://mariosanchezs.blogspot.com.br/2014/12/o-falso-cancer-2-edica.html