sábado, 26 de dezembro de 2009

ESOPO - VOTOS DE FELIZ 2010

ESOPO E RAMACHENG DESEJAM A TODOS UM PRÓSPERO 2010.

(PARA AMIGOS E INIMIGOS)

A tempestade ia de mal a pior. O capitão avisou:

- Ali vem uma onda maior que nos vai afundar! Nada podemos fazer!

Havia dois inimigos mortais no barco. Um deles, rancoroso, está na proa e seu desafeto está sobre a popa do barco. O primeiro pergunta ao piloto do barco:

- Qual é a parte do navio que deve afundar primeiro? - "A popa!" Replica o piloto. Responde o rancoroso:

-"Morrerei feliz! Meu inimigo vai morrer antes que eu!"

Dizem os narradores que a moral desta fábula de Esopo é a seguinte: Muitas pessoas são como esses dois - ficam contentes com a própria desgraça por saberem que seus adversários também a estão sofrendo.

ANÁLISE - O caso do barco descrito pelo fabulista está muito parecido com as profecias do Fim do Mundo para 2012. Ninguém pergunta se há algo a fazer. Até os auto-proclamados espiritualistas pensam que vão morrer e morrem felizes por SUPOR que os maus devem morrer antes (ou para sempre). Será que isso é realmente ser espiritualista? Não lhes pareceria melhor querer que todos abram seus olhos e mudem para o Bem?

COMENTÁRIO

Hoje existem três protagonistas inimigos no mesmo Barco, o Barco Brasil. Peço desculpas aos que não concordem comigo. Porém, acho que sou um pouco estranho neste mundo. Vivo procurando sempre algum modo de deixar tudo bem para todos. Meu Imposto Zero, de fato, procura zerar os problemas de todos os protagonistas do Barco Tributário.

Começo atendendo a Tudo que o Poder Público pode precisar para os orçamentos. Estes serão assim rateados pelos contribuintes, zerando completamente os problemas de verbas.

Em seguida vamos Zerar as guias que os pobres hoje precisam recolher. Nunca mais eles terão que fazer pagamentos de impostos. Sejam assalariados, autônomos ou pequenas empresas. 

Por fim, Zeramos também o problema dos grandes contribuintes, os quais terão guias a recolher como despesas do condomínio da Nação. Como? Damos um tempo desde receberem a guia e o dia que devem pagar, para que rateiem, diluindo pelas suas notas fiscais incluindo nos preços.

Cada um vai pagar, daí em diante, somente o que vier embutido nos preços do que consumir. Assim, todos ficam fora da filosofia dos rancorosos! É o que eu penso.

Mas, nenhum dos três grupos quer aprovar minha proposta! Não consigo entender! Será que ninguém deste barco quer salvar-se, caso os seus desafetos também assim se salvem?!!! Isso é muito louco!

(Das sombras que dirigem a tempestade, ouço um estranho riso de bilhões de vagabundos miseráveis - Pagamos 70% de tudo que gastamos com prazer, porque não fazemos nada e ainda sobram 30% da nossa propina tirada de quem é tolo e trabalha! Morreremos felizes porque todos afundarão juntos!)

Ainda assim, eu peço aos Budas que salvem a todos!

Se assim quiserem, desejamos a todos um Próspero 2010.

Um comentário:

Leocádio Celso disse...

Olá Professor!
Parabéns pela clareza mental e discernimento. E pelo esforço que vem fazendo para contagir tantos quanto possível com suas idéias e intenções. Que estas frutifiquem e que consigamos salvar o barco com os passageiros e tripulantes, amigos ou inimigos.