segunda-feira, 26 de maio de 2008

SUN TZU-ESTRATÉGIAS-TERCEIRA GUERRA MUNDIAL

QUATRO herdeiros de SUN TZU  ensinam ao QUARTO IMPÉRIO

 

Resumo - QUATRO SUN TZU ensinam o TAO (caminho) e Quatro Reinos disputam hoje o IMPERIO MUNDIAL. Este conflito pela Globalização se parece muito com os tempos dos "Quatro Reis Guerreiros" de 400 AC com Sun Bin a serviço do Reino de QI, unificando a China. Hoje são também Quatro Reis querendo dominar sozinhos a Globalização: CFO (Council of Foreign Office), Pacto de Xangai (China e Rússia), Jirad (Terror e Infiltrados) e Democracias Ideais.

 

No planejamento estratégico SUN TZU é o mestre e ele ensina o Caminho (TAO) como sendo o Modo correto que vence a guerra. Esse TAO ou modo é a diretriz ou Projeto que vai definir os passos que os Peritos devem dar, sob o comando de Sábios Generais, para vencer a Terceira Guerra Mundial.

 

Trata-se hoje como na Unificação Chinesa do século IV AC de Quatro Reinos em confronto. Nas profecias do Apocalipse, seriam quatro reis do Oriente contra o Ocidente. Em Nostradamus, são cristãos contra um império que ele chama de Barbaria. Em Arnold Toynbee são cristãos contra islâmicos. Na descrição de Olavo de Carvalho no artigo "Travessia Perigosa" são três pactos em confronto: CFO, Pacto de Xangai, e Islã. A meu ver, temos aí os quatro reis do Oriente das profecias (China e Rússia pelo pacto de Xangai e mais dois sistemas da Jirad – o Terrorismo e os Infiltrados) com intenções de ANIQUILAR todos os credos (Cristianismos, Budismos, Taoísmo, Yoguismos e Judaísmo), mas, cada um desses dois pactos querendo sozinho acabar depois com os outros também.

A meu ver, os países e as nações que querem Verdade, Paz, Respeito aos melhores e Riqueza Honesta, constituem a ala que vai vencer a Guerra da Globalização e vai utilizar as estratégias de SUN TZU porque conhecem o CAMINHO (TAO).

 

A primeira lei da guerra é ter motivos morais para entrar nela. Será na situação de DEFENSOR. Não tendo escolha de evitar o confronto, atenderá à máxima Romana: Se vis pacem, para bellum! Se queres a paz, prepara (para) a guerra!

 

Esse MODO, ou razões morais para estar na guerra, como definem os Peritos da família de Sun Tzu, é o Projeto que vai clarear os passos a serem dados pelos Generais Vencedores da Terceira Guerra Mundial que será para estabelecer o IMPERIO da Globalização. 

 

Na sabedoria popular, chegar à agressão é "apelar para a ignorância" e isto significa que a agressão guerreira é prova de ignorância. A ignorância, entendemos, reside em não pensar que a violência de um abre ao outro a autorização tácita para fazer o mesmo com ele.  Mas, sempre ouvimos falar que numa guerra a Vitória depende de "razões morais"e bons conhecimentos... Bem, consultemos os Sábios da Arte da Guerra para tirar as dúvidas.

 

Em "ARTE DA GUERRA", SUN TZU e seu maior seguidor, PAN BIN, deixaram nas entrelinhas a explicação necessária sobre o tema da guerra. SUNT ZU define guerra como o recurso usado por Elites e Governos Incompetentes para prolongar a sua permanência no Poder. Isto explica por que as Guerras do passado terminavam sempre com as Civilizações e com as nações envolvidas. 

 

 Define as posições de AGRESSOR e DEFENSOR esclarecendo que "agressor" é aquele que motivou o conflito, mesmo que ele pareça atacado e estar defendendo sua nação. O "defensor" é aquele que tem que entrar na guerra e combater porque fica obrigado a isso para sua nação sobreviver e não porque ele quer a guerra.

 

Isto posto, há que seguir técnicas, estratégias e conhecimentos que os generais mais sábios terão que ter, como exércitos preparados, armados, abastecidos, além de contar com "peritos" capazes que são os que trarão a vitória. Quem tem melhores peritos deve alcançar a vitória. Estes peritos levam em conta cinco áreas de sua atenção – Modo, Clima, Terreno, Liderança e Disciplina.

 

Modo (TAO) são as razões para ir à guerra. Estas razões têm que ser Justas.

Clima é o momento físico da região e também o estado psicológico dos povos e dos exércitos envolvidos.

Terreno é a base em que ocorrem os combates físicos e ideológicos.

Liderança exige inteligência, confiabilidade e amor à nação.

Coragem é aproveitar as situações e ter firmeza nas ações.

Disciplina envolve organização, hierarquia, clareza sobre as operações e persistência.

 

Antes de começar uma guerra, devemos ter essas cinco condições dominadas.

Durante as operações, o exército deve estar atento a possíveis adaptações – caminhos a evitar, inimigos que não podemos atacar, fortes não sitiáveis, territórios não disputáveis e ordens de seus governos que não devem ser obedecidas.

 

Alguns princípios devem ser lembrados:

O bom general é silencioso, cuidadoso, organizado, inescrutável.

Numa guerra, temos que contar com informações completas e confiáveis.

Venceremos onde o inimigo é vulnerável.

Queremos a paz, frente a ignorantes? Preparemos a guerra! (sabedoria dos romanos).

NÃO CONHECER é o maior mal de um guerreiro.

Como começa uma guerra, qualquer um pode saber. Como ela vai terminar, não!

Quem não está consciente dos riscos de uma guerra, dificilmente vai conseguir as vantagens que ela pode trazer.

Um mau acordo é sempre melhor de que vencer pelas armas sem ter razão.

O ideal de uma guerra é vencer antes de ir ao combate e, se possível, sem combater.

O guerreiro não tem escolha entre ser AGRESSOR ou ser DEFENSOR. A deliberação e a prevenção das guerras ficam ao nível dos GOVERNANTES.

Quando um não quer, dois não brigam.

Se você conhece a sua tropa, mas não conhece a do inimigo, para cada batalha ganha, perderá outras mais. Conhecer a si e ao inimigo nos deixa tranqüilos em cem batalhas. Mas, não conhecer seus recursos nem os do adversário levará à derrota.

AGRESSOR E DEFENSOR muitas vezes possuem razões parciais quando chegam á guerra e isso explica tanto o fim por acordo quanto os litígios sem fim, entre elites incompetentes dos dois lados ajudando-se a manter o poder.

 

COMO EVITAR GUERRAS.

JÁ QUE AS GUERRAS SÃO DESEJADAS POR ELITES INCOMPETENTES PARA PROLONGAR SEU TEMPO NO PODER, A MELHOR FORMA DE EVITAR GUERRAS É REMOVER OS INCOMPETENTES DOS GOVERNOS.

 

Não é necessário DERRUBAR um governante que ameaça começar uma guerra, porém, é suficiente mudar o grupo de poder ou convencê-lo a reavaliar a situação, resolvendo antecipadamente os conflitos. Mudando um grupo de poder, já que hoje não há governantes individuais, podemos torná-lo competente ou renovado e pacífico. Muitos conflitos mudam de significado no seu desenrolar. Hoje, com nações fazendo Alianças gerais, é possível chegar a esses resultados.

 

 

Entendendo as estratégias:

O Modelo Democrático é propenso a Acordos e à Vitória.

O Modelo Escravagista é propenso à guerra e à derrota.

Verdade, Prosperidade, defesa de valores morais e éticos, respeito aos melhores e à propriedade honesta, reforça a capacidade para enfrentar guerras.

Soldados excitados, mal educados, violentos, morrem logo nos combates.

Soldados calmos, rápidos, observadores e sem ansiedade, costumam vencer.

Generais bem informados e que respeitam seus soldados, facilmente levam à Vitória.

 

PREVENIR É O IDEAL EM QUALQUER CONFLITO.

NÃO TER QUE COMBATER, É A VERDADEIRA VITÓRIA.

CONHECER É SEMPRE A SOLUÇÃO. Quem não aceita que outros tenham idéias diferentes, é porque não acredita ou não tem as idéias que alega que tem.

 

Está errado o rico que não ajuda os pobres. Mais errado está o incompetente que quer tomar pela força o que os outros lutaram para ter. E muito mais errado está o governo que põe os dois em confronto para dizer-se juiz no conflito para escravizá-los.

 

ONDE FALHA A EDUCAÇÃO, ACONTECEM OS CONFLITOS.

 

Estamos assim prontos para fazer um PLANO DIRETRIZ para vencer a próxima conflagração que já está sendo executada.

 

QUAL SERÁ "O SEGREDO DO QUARTO IMPÉRIO"?

 
1. Ao tempo dos Reis Guerreiros da China, conta Sun Bin - "Usurpadores de instalavam como senhores feudais e reis; estados eram governados por pretenciosos e conspiradores juntavam grandes tropas; seus sucessores os imitavam , destruindo uns aos outros, com muitas violências e muito sangue. Pais e filhos afastados, irmãos em briga, esposos se tornavam estranhos. Ninguém tinha segurança da vida. Sete estados grandes e cinco menores lutavam pelo poder".
2. Nessa época, o estado de QI orientado por SUN BIN ficou poderoso mas decadente e caíu numa cilada do mais ganancioso reino (de Ch'in) e deixou de ajudar cinco estados menores aliando-se ao poderoso que o anexou e depois ocupou toda a China. SUN BIN, depois das perguntas do Rei Wei, teve que atender a curiosidade de seus discípulos da Arte da Guerra e disse-lhes: "O rei Wei perguntou sobre nove assuntos e o seu general sobre sete. Eles estão quase conhecendo as estratégias mas ainda não conhecem o TAO".
3. Nós pertencemos ao QUARTO REINO - cinco estados menores (cristianismos, budismos, taoismo, judaismo e yoguismos) conhecem O CAMINHO. Dois poderosos grupos (Shangai e Jirad), os dois compostos por reinos semelhantes aos Reis Guerreiros disputam para ter a hegemonia do mundo a globalizar. Nós não podemos cair sob a estratégia dos Subdesenvolvidos como os Sul Americanos hoje aderindo a Shangai que os quer enfraquecer apoiando a Jirad (Terrorismo e Infiltrados). Nenhum deles respeita o TAO (Verdade, direito de ir e vir e prosperar, respeito aos melhores, e acesso à propriedade honesta).
4. O Segredo que dará a vitória ao nosso Quarto Reino é ideológico e totalmente matemático - o poder econômico de Povos Livres resulta da União da Riqueza estatal com a Liberdade de Iniciativa resultante de não haver segredo - A Verdade total é a Libertação.
5. O SEGREDO DO QUARTO IMPÉRIO É O TAO, O CAMINHO, A VERDADE, A VIDA PLENA E A RIQUEZA HONESTA PARA TODOS. E isto vencerá essa Guerra.
 
COMO SABEMOS DISSO?
É QUE, ACIMA DAS NUVENS AQUI MESMO NO PLANETA TERRA TEMOS UM REINO AINDA NÃO EXIBIDO QUE VIGIA E VAI AJUDAR AOS HOMENS DE BOA VONTADE QUANDO MOSTRAREM SUA VONTADE DE NÃO PACTUAR COM A MENTIRA, A VIOLÊNCIA E A MISÉRIA QUE OS QUATRO REINOS DAS DUAS ALIANÇAS ESCRAVAGISTAS PRETENDEM IMPOR PARA NOS ANIQUILAR.
 
Segundo as Profecias, o fim desta Idade do Sofrimento se conclui com uma Ditadura Geral no Mundo todo que vai durar três anos e meio. Ao final desse tempo, os ditadores querendo ANIQUILAR uns aos outros estarão em guerras totais, mas, cataclismos naturais em crescendo os atingem em combate e acontece uma Intervenção  do PODER SUPERIOR  com uma mudança para Nova Civilização, expulsando fianalmente da Terra o JOIO que aqui se infiltrou. 
 

Um comentário:

HOOF disse...

Em verdade já estamos vivendo os tempos que antecedem aos três anos e meio de paz. É como no sonho do profeta Daniel. Estamos vivendo no meio da última semana, onde podemos transformar cada dia desta semana em um ano, formando então 7 anos. Assim, entendo que estamos vivendo os últimos sete anos antes da grande comoção mundial. Para um pai de três filhos, vivendo e vencendo batalhas diárias, contornando os problemas que nos infligem os dominadores, epero ansioso pela renovação, ensinando o melhor para os que se acercam de minha família, plantando o verdadeiro alimento do corpo físico humano (frutas sucosas cheias de glicose)na terra, cuidando do espírito, buscando a verdade na projeçção da consciência, no entendimento da ciência do espírito.